Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ELE ME OBRIGOU A SER SUA ESCRAVA.



Lembro-me do Alberto, ou melhor, Sr. Alberto desde que me conheço por gente, ele e meu pai são muito amigos, do tipo que fazem quase tudo juntos: viajam, pescam, fazem churrasco, enfim uma amizade de irmãos. E assim fui criada, chamando-o de tio Alberto, hoje um senhor de uns 50 anos bem conservados, pois ele é realmente muito vaidoso. Fui crescendo, estudando e com 19 anos entrei para empresa do Alberto a pedido de meu pai, em princípio para um estágio, pois estava começando meu curso de administração e ele possuía uma grande e práspera metalúrgica. Iria estagiar no setor pessoal e fui me saindo muito bem na empresa, era interessada, profissional e mal tinha contato com Alberto, meu curso durou 4 anos e nesse tempo tive algumas promoções pela minha capacidade. .Assim que me formei eu estava com quase 22 anos e procurei Alberto para tentar um acordo, pois iria sair da empresa, tentar minha vida na capital São Paulo, residia no interior . Ele não gostou da idéia e no outro dia me chamou em sua sala me oferecendo um novo cargo na empresa, eu seria responsável por todo departamento de RH, me oferecendo um átimo salário. Claro que aceitei a proposta muito feliz, pois assim poderia ficar ao lado de minha família, morava com meus pais e na época ele estava enfrentando dificuldades financeiras e também um problema sério de saúde. Foi nesse período que meu contato com Alberto aumentou muito, pois tinha que me reportar diretamente a ele.



Isso se passou dois anos, e eu já estava noiva do Carlos ( um antigo namorado de adolescência ) , continuava como responsável no Recursos Humanos. Quando em uma sexta-feira em que o Sr Alberto me chamou em sua sala minha vida mudou completamente.



-- Bel, preciso do seu apoio hoje, o Eder não pode vir e é pagamento dos funcionários, poderia me ajudar? ( Eder era responsável pelo setor financeiro da empresa)



_ Claro Alberto sem problemas.



E ele foi me passando as coisas para fazer,tais como: imprimir os holerites, fechar o caixa, enfim. até que me pediu:



_Olha estou muito ocupado nesse momento, por favor vá até a tesouraria, ( me passou a senha do cofre) , e trás para mim R$ 80.000,00 num lote fechado, precisamos separar o pagamento dos funcionários. Inocentemente fui ate lá, era uma sala ao lado e voltei com o dinheiro entregando tudo ao Alberto.Bem o dia terminou assim, eu, Alberto e mais alguns funcionários efetuamos os pagamentos.



Voltei a trabalhar na segunda como sempre, e particularmente naquele dia estava muito bem vestida pois teria uma reunião da empresa, estava com uma saia preta estilo secretaria, blusa de botões, saltos, lenço no pescoço e um rabo de cavalo. O telefone toca



_ Recursos Humanos Bel, posso ajudar?



_ Isabel, suba preciso falar agora com você! ( Falou Alberto ao telefone, num tom sério, diferente, nunca tinha me chamado pelo nome completo, rapidamente subi)



_ Com licença!



_ Feche a porta com chave, e sente-se! (Fiz o que mandou e me sentei apreensiva.)



_ Aconteceu alguma coisa Alberto?



_ CALA A SUA BOCA, e me chame de Sr Alberto, entendeu? ( Eu fiquei atônita, olhando para ele, sem entender, foi quando ele jogou um comprovante de depásito na minha frente. Peguei o comprovante e vi que se tratava de um depásito de R$ 80.000,00 em minha conta corrente)



_ NÃO!!!...DEVE TER ALGUM ENGANO ALBERTO......EU NÃO FIZ ESSE DEPáSITO!!! DEIXE-ME VER MINHA CONTA AGORA.



Ele se manteve calado, enquanto apavorada me debrucei sobre o seu computador e entrei na minha conta corrente, e realmente estava lá um depásito deste valor. Fiquei apavorada, olhei para ele sem saber o que dizer......lábios trêmulos.



_ Então Bel, e não é sá isso , eu tenho as câmeras que provam que você retirou este dinheiro do cofre, Você me roubou! ( Ele falou isso em tom sério, e calmo). Sentada na frente dele eu estava confusa, sem entender direito, meus olhos se encheram de lágrimas e foi então que percebi tudo e num acesso de fúria me levantei berrando quase na cara dele



_SEU FILHO DA PUTA, FOI VOCÊ QUE ARMOU TUDO ISSO, FOI VOCÊ, VOCÊ ME DEU O SEGREDO DO COFRE E EU TE ENTREGUEI O DINHEIRO E AGORA ESTÁ ME ACUSANDO. POR QUÊ? POR QUÊ?



Eu estava em pé berrando bem práxima a ele, que permanecia sentado, e quando terminei de berrar e de ter meu ataque ele me meteu um tapa forte na cara , que me fez desequilibrar, fiquei parada com a mão no rosto olhando para ele que calmamente me disse.



_ Agora você se senta na cadeira, cala a boca, engole o choro e escuta. Você tem duas alternativas e vai escolher a melhor para você, a primeira será a seguinte: A partir de hoje será minha escrava, meu objeto, vai fazer tudo, absolutamente tudo que eu mandar sem questionar e vai estar sempre a minha disposição, as regras com o tempo vou dizendo, Agora, se não quiser tem a segunda opção: eu ligo para a polícia e te coloco na cadeia, e aproveito para enterrar seu pai que já esta doente e não aguentaria um baque desses da filhinha querida dele. Você tem 1 minuto para me responder! E dito isto, ele começa marcar a hora no relágio me observando.



Sentada ali na frente de Alberto, tinha ádio dele e meus olhos demonstravam isso, enquanto ele cinicamente olhava para o relágio me alertando que estava acabando o meu tempo, tentava segurar o choro, pensei em tudo e me lembrei de meu pai, ele jamais aguentaria uma notícia dessas e entre tantos pensamentos, ele me interrompe:



_ Seu tempo acabou, estou aguardando sua resposta!



_ Albeto, por que está fazendo isso comigo?



No mesmo instante ele se levanta, chega perto de mim e me esbofeteia novamente. Pega o telefone , liga para a segurança e diz.



_ Luiz, chame a policia aqui!



Minha reação foi instantânea.



_ Não, eu imploro Não faça isso, eu aceito, aceito...faço tudo!!



_ Luiz, esquece não precisa chamar ( Ele diz retornando a ligação para o Luiz)



Sentada ali na sua frente, me sinto derrotada, jamais iria para a cadeia. Nunca. E quanto a ele, olhava para mim, com um riso nos lábios, me observando calado, eu acho que ficou assim uns 19 minutos... e aquilo me deixando agoniada, permaneci de cabeça baixa, pois não conseguia olhar para o rosto dele.



_ Vamos lá, quero que se levante agora e me mostre o material que tenho aqui! Anda!



Levantei-me da cadeira, sem jeito.



_ Olha para mim ( eu olho), agora levanta bem essa saia.....dobra ela...como se fosse uma mini saia, com a polpa da bunda aparecendo.Quero ver esse rabo!



Continua....



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


shortinho apertado curto abraçadinhoTennis zelenograd contocontos com fotos flagrei meu marido com a viúva do vizinhoarrombei o cu da minha colega contoareconto erotico sogro na piscinaFlanelinha de shortinho partindo a bucetadudududu pau no seu cu contos eroticos submissa chantagem casadascontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidocontos de sexo de ladinho com com a irma dormindo ao ladocontos marido viuconto pm metedorcontos pediu uma massagem e acabei comendoconto erótico O Despertar de uma casadahistorias verdadeiras de maridos que fragaram as esposas dandoconto erotico transei com meu filhocontos eróticos, cuzinhocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casagostosa com sainha rodadinha e muito curta e homem passando a mão na buceta delacontos eroticos de menininhascontos de cú de madrinhaContos Gays Fui Assediado pelo marido Gostoso Da Minha Irmâcheiro calcinha mar massagem conyoconto erotico comi.a .mulher.do meu amigo.corinthianocolocando a prizilha na bucetatrasano com entregado coroacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casafisting enfia ate o cotovelo invercaocontos eroticos me masturbei sozinhaContos eroticos minha mulher e o policialcornosubmissocontocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaConto sou uma vagabunda com fotoscontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaencostou o cotuvelo no meu peito fiquei loca conto eroticoMinha esposa adora um homem negro contos eroticoscontos 8 aninhosgostei de ser enrabadoConto arrombada por vovô e o caoContos eróticos Estupro de negraconto fui encoxado pelo meu amigo gaycontos erótico menininho na faxina menina curiosa pega no meu pau contosdp contosconto meu marido mama caralho meu vizinhomeu primo rasgou meu cu gaydomador de casadas conto eróticocontos eroticos troquei marido pela vizinhaminha mulher me fez corno e viado ao mesmo tempo eu adoreicontos de incesto minha sobrinha veio passar dois dias comigoFunk érotco peguei minha sobrinha do interior matutinhacontoseroticos anal brital no acampamentocontos erotico trepei com meu padrasto ver fotoscontos eroticos de fudendo com o pastordezenhos de 11aninho pormocontos policiais fudendo presosConto erotico minha mulher me fez da o cugreludas insaciável incesto contos Foderam gente contos tennsCunhada olhando o volume do cunhadoperdi mimha virgindade com um consolo contobeijos suculentos com babinhaele com a pica cabeçuda balançando na frente da minha mulher contos eróticoscontos de cú de irmà da igrejacontos eróticos mamãe meteu uma cenoura em minha bucetinhavideos cazeio dado rabu coiado. taido aimaconto de mulheres que trazam com cavalo no curaltravesti gozando no próprio sutiãconto erotico emprestando a noivaconto erotico dando minha bucetinha pro enfeemeiro da minha amigaWww.xoxotinhanovinha.commulher nua e corpo melado de margarinax vídeo mulher da cu virgema outro antes de da marido conto eróticosdoce nanda trepando e dando gostosinho contos eroticoscontos eroticos de enteadasAi meu cú. Conto erótico heterossexual.Sentando no colo. Contos eroticos.contos eroticos parte dois da helena e o padrastocastigando a patroa na ruacontos eroticos putinha pagando a conta do paicontos de bichinha dando pra negao